domingo, 26 de maio de 2013

Curiosidades Religiosas: Conheça a História do Cânone do Novo Testamento

Nos primeiros séculos do Cristianismo, existiam centenas de textos sobre as idéias do Cristo. Existiam, também, diversas correntes que se degladiavam para fazer prevalecer suas idéias e assim, obter o domínio sobre a então religião que florescia. Entre esses grupos estavam os ortodoxos, os grupos mais aliados à Roma e aqueles que se convencionou chamar de gnósticos.

Para se ter uma ideia, caso se resolvesse formar uma Bíblia com os escritos da época, esta teria mais de trezentos livros. Imagine-se a dificuldade que seria o manuseio dos livros sagrados. Imagine-se também, saber-se sobre a autenticidade dos mesmos, sobre seus autores e as diversas linhas de interpretação das idéias do Cristo.

Desde o início do Cristianismo parece ter havido fraudes. O apóstolo Paulo, por exemplo, começou a assinar suas cartas por causa de textos falsos que circulavam na igreja já no século I (II Tes 3:17 e 2:2).
O principal alvo dos ortodoxos e dos grupos aliados à Roma (a Igreja do Ocidente) eram os chamados gnósticos, principalmente por pregarem que para falar com Deus, não era necessário haver intermediários (sacerdotes). Lógico que isso era uma idéia contrária a então hierarquia das Igrejas ortodoxas e católicas que já se organizavam como é ainda hoje.

Os gnósticos eram,então hostilizados e suas idéias severamente combatidas. Os mandatários da Igreja católica da época, principalmente trataram de afastar os gnósticos e suas idéias para o limbo da história.

Essa discussão remonta aos primeiros séculos do Cristianismo e já no século II, os pais da igreja, combateram esses textos nos seus escritos. Eusébio, por exemplo, os denomina como "totalmente absurdos e ímpios".

No ano 325, a Igreja Católica patrocinou a primeira separação oficial entre os textos, no Primeiro Concílio de Nicéia, convocado pelo imperador romano Constantino, que havia aderido ao Cristianismo.

A separação atual foi imposta pelo Concílio de Trento, convocado pelo Papa Paulo III, representante máximo da Igreja Católica, realizado de 1545 a 1563.

Para se ter uma idéia,existiam mais de cem evangelhos escritos na antiguidade, mas apenas quatro foram aceitos como parte do Novo Testamento, ou seja, como canônicos.
·         Evangelho segundo Mateus
·         Evangelho segundo Marcos
·         Evangelho segundo Lucas
·         Evangelho segundo João
-------------------------------------------------------------------------------