sexta-feira, 1 de junho de 2012

O MILAGRE DA VIDA

O nosso espírito é eterno, a morte não é o fim. Somos viajantes do cosmos desde que fomos criados à semelhança de Deus. Ao nascermos na Terra, recebemos o corpo de carne,que nos possibilita interagirmos nesse planeta, onde estagiamos por tempo determinado com a finalidade de desenvolvermos nossos potenciais e nos integrarmos nas leis cósmicas que regem a vida.

Somos livres para escolher, mas obrigados a colher os resultados. Assim, cada um é responsável por tudo quanto lhe acontece. Através de erros e acertos, vamos amadurecendo, evoluindo.
Não dá para avaliar o tempo que cada um vai despender nesse processo, que poderá alongar-se por séculos, conforme a resistência e o ritmo de cada um. Por esse motivo reencarnamos várias vezes neste mundo, só deixando de fazê-lo quando tivermos aprendido tudo o que esta dimensão pode nos oferecer.
Como a evolução é infinita, quem não precisa mais estagiar na Terra passa a viver em outras dimensões do universo, continuando sua trajetória em busca do conhecimento e da harmonia interior.
Deus, ao criar o universo e os espíritos, estabeleceu leis cósmicas perfeitas que atuam com a finalidade de facilitar o desenvolvimento de todos, conduzindo-os à evolução. Ele os fez simples e ignorantes,mas particularizou vocações que comporiam as novas moradas em que viveriam,nas quais precisariam contar com pessoas para as diferentes atividades sociais a serem desenvolvidas. Colocou dentro de cada um os potenciais necessários e lhes foi dada uma vocação, para que exercessem suas atividades com amor. Deu-lhes também o livre-arbítrio, para que pudessem fazer suas escolhas e aprender com os resultados.
Esse respeito que a sabedoria divina demonstra, acreditando que somos capazes de criar uma vida melhor, nos emociona e eleva. Faz-nos perceber a própria responsabilidade não só diante de nossas responsabilidades, mas também em face da preservação do planeta que nos agasalha.
Deus nos deu a vida, mas a Terra nos ofereceu tudo que necessitamos para estagiarmos aqui. Deu-nos os elementos que formam nosso corpo de carne, o ar que respiramos, os vegetais e frutos que nos alimentam, os animais que nos servem com dedicação. Cercou-nos de beleza, desde o azul do céu até as profundezas dos mares, onde nossas vistas não alcançam.
Nossa casa, girando no espaço infinito, é um lugar privilegiado, cheio de flores, pássaros que cantam, incentivando-nos à alegria. Olhemos em volta e percebamos toda a glória da vida que nos rodeia, agradecendo por podermos viver aqui.
Todas essas coisas compõe a obra do Grande Arquiteto do universo, que criou o milagre da vida.
Fonte: Gasparetto. Zibia. Extratos de Introdução da obra “Eles continuam entre nós”, vol. 2.