terça-feira, 8 de maio de 2012

Curiosidades Religiosas: Levi Mateus, o primeiro evangelista

O apóstolo Mateus Evangelista (מתי/מתתיהו, "Dom de Javé" ou "Presente de Deus", hebraico padrão e vocalização de Tibérias: Mattay ou Mattiyahu (Matias ou Matatias); grego da Septuaginta Ματθαιος, Matthaios; grego moderno: Ματθαίος, Matthaíos) é, pelo relato dos Padres da Igreja, o autor do Evangelho de Mateus e um dos Doze Apóstolos.

Existem informações, deixadas por Jerónimo (em sua obra De Viris Illustribus, cap 3) e Eusébio de Cesareia que Mateus teria sido o autor do Evangelho dos Hebreus, obra considerada apócrifa pela Igreja Católica, mesmo a despeito do testemunho insuspeito dos dois personagens citados.

Sabe-se, por informações coletadas nos textos bíblicos em Mateus 9:9 e Mateus 10:3 que ele teria sido um publicano (coletor de impostos de impostos) de Cafarnaum,a serviço de Herodes Antipas e que foi convidado para o círculo dos Doze por Jesus, pessoalmente junto ao mar da Galiléia.

Em outra passagem, em Marcos 2:14 e Lucas 5:27 ele é identificado como sendo o Levi, filho de Alfeu, também coletor de impostos. Os publicanos eram, justamente a classe mais odiada na época de Jesus, por cobrarem encargos dos judeus para serem entregues às autoridades romanas.  

A sua presença no grupo de apóstolos indicava que Jesus buscava salvação de todos, independente de origem, trajetória, família etc. E ele aproveitou a oportunidade e transformou-se em um discípulo fiel, preocupado em demonstrar aos judeus que seu Mestre, descendente da tribo de Davi, era o Messias esperado.

Apesar de sua profissão anterior de coletor de impostos, foi Judas Iscariotes, porém, que teve o encargo de tesoureiro da pequena comunidade apostólica.

Embora conste da relação dos apóstolos, geralmente ao lado de Tomé, o Novo Testamento oferece informação escassa e incerta sobre ele. Da sua atividade após o Pentecostes, conhece-se somente as admiráveis páginas do seu evangelho, primitivamente redigido em aramaico. Denominado de primeiro evangelho, nele há mais ênfase ao aspecto humano e genealógico de Jesus.

Fora do Evangelho, segundo Eusébio de Cesaréia em sua Historia ecclesiae, (História da igreja), a única referência histórica a seu respeito é uma citação do bispo Papias de Hierápolis, do século II.

Também não se conhecem versões conclusivas sobre sua morte, embora fontes menos críveis, referenciam narrações dos sofrimentos e do seu martírio, apedrejado, queimado e decapitado na Etiópia, de onde as relíquias do santo teriam sido transportadas para Paestum. Depois, essas relíquias foram levadas para a cidade italiana de Salerno (1080), onde até hoje se encontram e sejam consideradas pelos mais crentes como verdadeiramente do santo.

Apóstolo e evangelista, pela tradição ele pregou pela Judéia, Etiópia e Pérsia e a igreja romana celebra sua festa em 21 de setembro, e a grega em 16 de novembro e seu símbolo como evangelista é um anjo. 
--------------------------------------------------------------------------

Fonte: A Bíblia Sagrada,tradução de João Ferreira de Almeida, 2ª. Edição,1993 – São Paulo        

           http://pt.wikipedia.org/

           http://solenidades.blogspot.com/