domingo, 29 de janeiro de 2012

Curiosidades Religiosas: você conhece o Apocalipse de Adão?

Existem mais de 300 obras que datam dos primórdios do Cristianismo. Muitas delas são atribuídas aos apóstolos e seguidores de Cristo Existem diversas obras do gênero literário apocalipse, diversos evangelhos e epístolas. Mas, todas consideradas apócrifas pela Igreja Católica, cuja decisão é bastante contestada por estudiosos religiosos .

O Apocalipse de Adão é uma dessas obras considerada apócrifas, muito embora não tenha necessariamente ligações com o cristianismo. Por isso, até o momento discute-se se ele é realmente um texto do Gnosticismo Cristão ou se está ligado ao Gnosticismo Judaico. Ele é um dos textos Setianos.

O Apocalipse de Adão foi descoberto em 1945 entre os códices da Biblioteca de Nag Hammadi (códice V) e é um tratado gnóstico escrito em Copta, que é uma antiga língua egipcia.

RESUMO DA OBRA
A obra relata que Adão, no seu 700º ano de vida, conta para o seu filho Seth como ele adquiriu conhecimento sobre o Deus eterno de Eva e que ele e ela são, na verdade, mais poderosos que seu suposto criador. Mas este conhecimento se perdeu na Queda quando o sub-criador - o Demiurgo - os separou.

Adão então relata o aparecimento de três misteriosos estrangeiros que lhe transmitiram a verdade sobre o conhecimento perdido. Dessa verdade surgiu também a geração de Seth e a preservação deste conhecimento.

De posse desses conhecimentos, Adão então profetiza longamente sobre tentativas do deus sub-criador de destruir a humanidade, incluindo a profecia sobre o grande Dilúvio e uma tentativa de destruição pelo fogo, mas que o grande Iluminador virá antes do fim. E quando Ele chegar, treze reinos proclamarão treze lendas conflitantes sobre o Seu nascimento, mas apenas a "geração sem rei" proclamará a verdade.

Nas tradições não-gnósticas, as palavras finas de Adão a Seth podem ser encontradas em "Conflito de Adão e Eva com Satanás", "A vida de Adão e Eva" e no "Testamento de Adão".

Saiba mais sobre outras obras dos primórdios do cristianismo clicando aqui.

Leia o texto do Apocalipse de Adão, conforme tradução do Copta, clicando aqui.
Saiba mais sobre o gènero literário Apocalipse clicando  nos links abaixo:
Desmistificando o Apocalipse
- Entendendo o que seja Apocalipse
- Você sabe o que significa Apocalpse?
-----------------------------------------------------------------
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Apocalipse_de_Ad%C3%A3o
          http://misteriosantigos.50webs.com/apocalipse-de-adao.html

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

As doenças que se manifestam ao longo de nossa vida tem algo a ver com as vidas passadas?

Nada é por acaso, diz um jargão espírita. Outro nos diz que, na natureza não existem recompensas nem castigos. Só conseqüências.

A Doutrina Espírita nos ensina que quase todas as enfermidades tem sua razão de ser, e que nada se faz sem causas, e o que chamamos de injustiça da sorte é a aplicação da mais alta justiça.

Isso equivale a dizer que as doenças congênitas ou hereditárias, geralmente são decorrentes de nossas vidas passadas, ou seja, estão ligadas ao modo de vida que tínhamos em vidas pretéritas. Mas, também, é claro, não se pode creditar todas as mazelas a esses fatores.

Algumas enfermidades decorrem da necessidade de aprendizado, quando, antes de reencarnarmos,  escolhemos viver um processo doentio para nosso trabalho de crescimento espiritual.

Outras vezes contraímos doenças ocasionais. A maioria delas estão relacionadas com o estágio evolutivo do planeta e não tem relação com o nosso passado.Outras são resultado da nossa falta de vigilância, criando condições orgânicas ou psíquicas para que apareçam tais moléstias.

Eis aí, bons motivos para que você cuide muito bem dessa máquina maravilhosa, que Deus colocou à sua disposição. Cuide de sua saúde e estará cuidando de seu futuro, literalmente.
-------------------------------------------------------------------------
Fonte: http://www.forumespirita.net/fe/psicologia-espiritismo/visao-espirita-das-enfermidades/#ixzz1k13PvYot
         O céu e o inferno, KARDEC, Allan.2a. parte, Capítulo VIII, FEB,2008.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

VOCÊ SABE O QUE É DISTANÁSIA?

Segundo especialistas, Distanásia é a prática pela qual se prorroga, através de meios artificiais e desproporcionais, a vida de um enfermo incurável. Também pode ser conhecida como "obstinação terapêutica". Opõe-se à eutanásia e pode associar-se a conceitos como a ortotánasia, a própria morte e a dignidade humana.

A distanásia representa, atualmente, uma questão de bioética e biodireito. Este conceito insere-se no campo vasto da discussão do valor da vida humana e da morte.

O termo distanásia foi proposto e utilizado pela primeira vez em 1904, por Morache (1), e tem sido empregado para definir a morte prolongada e acompanhada de sofrimento, associando-se à ideia da manutenção da vida através de processos terapêuticos desproporcionais, a ”obstinação terapêutica”. Se poderia dizer, a meu ver, que trata-se do prolongamento da vida por meios artificiais, mas isso é uma opinião pessoal e não sou médico.

A distanásia pode abranger 3 aspectos principais: o pessoal, o familiar e o social.

Aspecto pessoal
- No aspecto pessoal, o indivíduo doente, que inicialmente teve seu processo de morte prolongado em vista de uma possibilidade idealizada de cura, aos poucos passa a depender completamente do processo tecnológico que o mantém, e a prorrogação constante da morte se torna o único elo com a vida; o doente se torna passivo e já não decide por si mesmo, apenas vive em função do processo de controle sobre a natureza.

Aspecto familiar
- No aspecto familiar, ocorre uma dualidade psicológica: por um lado o prolongamento da vida do ente querido, enquanto por outro o sofrimento perante a possibilidade constante e repetitiva da perda, além do doloroso ônus financeiro em prol de um objetivo inalcançável.


Aspecto social
- No aspecto social, ocorre o esgotamento da disponibilidade de recursos mediante uma situação irreversível, que repercute sobre o emprego oneroso dos recursos públicos, em especial nas sociedades carentes, em prejuízo de questões mais essenciais para a saúde pública, cujo resultado teria maior abrangência social.

A distánasia traz à luz um intenso debate sobre se é ético prolongar a morte de alguém, fazendo com que o paciente perca totalmente a dignidade humana. Nesse caso,trata-se de humanizar a vida em seu ocaso.

Outro ponto a ser destacado pelos oponentes da distanasia refere-se a que os recursos empregados na saúde são por demais escassos e deveriam ser utiizados para aqueles realmente necessitados,em detrimento da manutenção de doentes sem reais possibilidades de recuperação submetidos a um processo doloroso de morrer.

O que faria se tivesse um familar em tal situação? Participe de nossa enquete na parte superior á direita do blog, registrando seu voto

Está aberto um debate ético.
-----------------------------
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Distan%C3%A1sia
       1. MORACHE. Naissance et mort. Paris: Alcan, 1904. Apud OLIVEIRA, HB et al. Ética e eutanásia, 2003

sábado, 7 de janeiro de 2012

Curiosidades Religiosas: Diversidade Religiosa no Brasil

O Brasil é o país de maior diversidade religiosa no mundo. Aqui encontramos representações das mais diversas religiões do mundo.

O Brasil também, caracteriza-se pelo sincretismo religioso,fruto da miscigenação cultural e dos vários processos imigratórios ao longo de sua história. Aqui encontramos diversas religiões (cristã, islâmica, afro-brasileira, judaíca, etc). O Brasil é um Estado Laico, onde existe liberdade de culto religioso e também a separação entre Estado e Igreja.

Mas, nem sempre foi assim.O Brasil já teve como religião oficial o catolicismo, fruto da colonização portuguesa. Essa situação durou até a Constituição Republicana de 1891, que instituiu o Estado laico. Desde então as demais constituições prevêem essa separação entre o Estado e Religião. A atual Constituição Brasileira prevê a liberdade de religião e a Igreja e o Estado estão oficialmente separados e proíbe qualquer tipo de intolerância religiosa, sendo sua prática livre no país.

Segundo o Censo de 2000, ó último sobre a contagem de religiões a população brasileira é majoritariamente cristã (89%), sendo sua maior parte católica (70%).

Nesse Censo,também, conta-se mais de 1,5 milhão de espíritas ou kardecistas que seguem a doutrina espírita, codificada por Allan Kardec. Apesar de ser o país com o maior número de Espíritas no mundo, o número oficial de adeptos da Doutrina Espírita ainda é irrisório. Mas, não esqueçamos que a Doutrina Espirita foi introduzida no país ainda na metade do século XIX, sendo sua história muito recente.

Esses dados podem ser apreciados na Tabela abaixo.
  Religiões no Brasil (Censo de 2000
-----------------------------
Mas, o Censo foi mais além e ainda contou o número de adeptos discriminando por igrejas/crenças, como veremos a seguir.

Existem entre os cristãos muitas outras denominações religiosas no Brasil, entre as quais igrejas com orientação doutrinárias diversas como: pentecostais, neopentecostais, episcopais, metodistas, luteranas e batistas, seguidores da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Entre seguidores de outras religiões contam-se judeus, muçulmanos, budistas, neopagãos e seguidores do candomblé e da umbanda.

Cerca de 7,4% da população (cerca de 12,5 milhões de pessoas) declarou-se sem religião, podendo ser agnósticos, ateus ou deístas. Esses dados podem ser apreciados na Tabela abaixo.

Nesse Censo,também, conta-se mais de 1,5 milhão de espíritas ou kardecistas que seguem a doutrina espírita, codificada por Allan Kardec.

Fonte: IBGE - censo Demográfico de 2000

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

SUICIDAR-SE, NUNCA!!!!!

O suicídio é, talvez, o maior dos equívocos do ser humano. A pessoa sente-se pressionada por uma quantidade invariavel de desafios, que julga serem problemas sem solução, e precipita-se na ilusão da morte.

Ilusão porque ninguém consegue auto-exterminar-se. E fazendo isso, não resolverá problema algum. E o suicídio agrava as dificuldades porque aí a pessoa, já na qualidade de espírito, sente o corpo inanimado, e experimenta os horrores da decomposição daquele que foi seu corpo, porque seu perispírito não está preparado para esse tipo de passagem. Sente-se pressionada também, pelo arrependimento, pelo remorso, sem possibilidade de retorno imediato para refazer novamente sua vida. Em meio a dores morais intensas, com as sensações físicas próprias, sentindo ainda a angústia dos seres queridos que com ele conviviam, o suicida torna-se um indigente do além. Não imagine que isso é um castigo, apenas consequências do ato extremo.

Isto tudo acontece por uma razão muito simples: não somos o corpo, estamos no corpo. Somos espíritos reencarnados, imortais. E a vida nunca cessa,ela continua objetivando o aprimoramento moral e intelectual de todos os filhos de Deus. Suicidar-se é ilusão. Os desafios existenciais surgem exatamente para promover o progresso, convidando à conquista de virtudes e o desenvolvimento da inteligência. A oportunidade de viver e aprender é muito rica para ser desprezada. E quando alguém a descarta, sugem consequências naturais: o sofrimento físico, pela auto-agressão e o sofrimento moral do arrependimento e da perda de oportunidades. Sim, porque sendo patrimônio concedido por Deus, o suicídio é transgressão à Sua Lei de Amor (...).

Mas, como podemos saber se é assim que acontece? De onde vêm essas informações? (...) Foram os próprios espíritos que descreveram o estado pós morte. Entre eles, também os suicidas descreveram os sofrimentos físicos e morais que experimentaram.

Embora suicídios sejam atos extremos, existem atenuantes e agravantes, mas sempre com consequências dolorosas e que vão requerer longo tempo de recuperação. Sendo Deus, um Pai bondoso e misericordioso, e que jamais abandona seus filhos, irá concede-lhes sempre novas oportunidades. Vem daí a reencarnação como caminho reparador, em existências difíceis que apresentam os sintomas e aparências do ato extremo do suicídio.

Diante de possíveis angústias e estados depressivos, não há outro remédio senão manter a serenidade, a calma, a paciência e a confiança na vida, que sempre nos reserva o melhor, ou o que temos necessidade de enfrentar para aprender. Ações precipitadas, suicídios e atos insanos são praticados devido ao desespero que atinge muitas pessoas que não conseguem enxergar os benefícios que as cercam de todos os lados.

Há que se pensar nos familiares, cônjuges, pais e filhos, na dor que experimentam diante do suicídio do ser querido. Há que se pensar no arrependimento inevitável que virá. Há que se ponderar no desprezo endereçado à vida. Há, mais ainda, que buscar em Deus, na coragem, na prece sincera, nos amigos (especialmente o maior deles, Jesus), a força que se precisa para vencer quaisquer idéias que sugiram o auto-extermínio.

Pense sempre no tesouro que é tua vida, de tua família! Jamais te deixes enganar pela ilusão do suicídio. Viva! Viva intensamente! Com alegria! Que não te perturbes nem a dificuldade, nem a enfermidade,nem a carência material! Confie, (...) e prossiga!
--------------------------------------------------------------
Fonte: Texto de Carrara, Orson Peter, disponível no site http://www.espirito.org.br/index.asp, com adaptações deste blogger.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Curiosidades Religiosas: o que faz o Papa?

O Papa é o Administrador, da talvez, mais antiga e maior organização secular existente; uma gigantesca transnacional e multiracial, com representações no mundo todo. Essa organização gigantesca, burocrática, tem uma hierarquia rígida, semelhante a hierarquia militar. É uma tarefa herculea administrar essa gigantesca máquina presente no mundo inteiro e em lugares inimaginaveis.

Acredita-se que existam hoje mais de 2,0 milhões de católicos no mundo todo, que juntamente com as demais ramificações cristãs,dão ao Cristianismo o título de maior religião do mundo, embora não seja a que mais cresce. O número de fiéis cristãos equivale a um terço da população mundial.

Não é fácil se tornar um Papa. Para chegar lá, é preciso muita força política para ser o escolhido, pois o Papa é eleito por um  Colégio de Cardeais, e seu posto é vitalício. Seu cargo eclesiástico é chamado de Sumo Pontífice, e o tratamento a ele efetuado pelos demais Cardeais, e até mesmo autoridades, é Sua Santidade. O Papa também é o Chefe de Estado da Cidade do Vaticano,uma cidade-estado soberana, enclavada em Roma, chamada de "Santa Sé,  por esse motivo, tem o status de Chefe de Estado,ao ser recebido nos diversos países por onde passa.

O primeiro Papa foi São Pedro, que segundo a Igreja Católica foi escolhido por Jesus para ser o "pastor" e "rocha" da Igreja.

Assim como São Pedro que dirigia o Colégio dos Apóstolos, os Papas, seus sucessores tem igual função dirigindo o Colégio dos Cardeais, que é o sucessor do Colégio dos Apóstolos.

O papado como uma das instituições mais antigas do mundo, teve uma participação proeminente na história da humanidade. Os papas na Antiguidade, auxiliaram na propagação do cristianismo e a resolver diversas disputas doutrinárias e até mesmo territoriais entre nações. Na Idade Média eles desempenharam um papel secular importante na Europa Ocidental, muitas vezes, servindo de árbitros entre os monarcas e evitando diversas guerras na Europa.

Atualmente, além de se dedicar a expansão do Catolicismo e da doutrina da fé cristã, os Papas se dedicam ao ecumenismo, e diálogo inter-religioso, a trabalhos de caridade e à defesa dos direitos humanos, bem como às questões administrativas que envolvem a Organização Católica no mundo todo.

Leia mais sobre o assunto clicando aqui..
-------------------------------------------------------------------------

Curiosidades Religiosas: quantos Papas já existiram?

A palavra Papa (possivelmente provém do Latim "Papa", do Grego πάππας. Pappas é uma palavra carinhosa para pai). O Papa é o Bispo de Roma, e como tal, é o líder mundial da Igreja Católica (isto é, do Rito Latino e das Igrejas Orientais Católicas em plena comunhão com Roma). O atual pontífice é o Papa Bento XVI,que foi eleito no conclave em 19 de abril de 2005 e é o Papa de número 266, e tem como nome verdadeiro Joseph Alois Ratzinger.

O primeiro Papa foi o Apóstolo Pedro (São Pedro), Dos Papas que já existiram, 81 são reconhecidos como santos e 9 como abençoados.  Dos primeiros 32 Papas, 28 foram mártires, 10 tiveram mortes violentas e pelo menos 14 Papas abdicaram ou foram destituídos.

A grande maioria dos Papas tinha origem italiana ou romana. O menor papado foi o do Papa Estevão II, que morreu quatro dias após a sua eleição.  O maior foi o de Pio IX, que liderou a Santa Sé por 32 anos. O mais novo foi João II, eleito com aproximadamente 18 anos de idade. O mais velho Gregório IX viveu mais de 14 anos após a sua eleição, até os 86 anos de idade.

Os Papas costumavam manter seus próprios nomes após a eleição. A tradição de escolher um novo nome começou quando o padre romano Mercúrio assumiu o nome de João II, em 533, para que a igreja não tivesse um Papa com o nome de um deus pagão.

Abaixo discriminamos as quantidades de Papas que existiram, por nacionalidade.

Italianos                                   212
Franceses                                  17
Gregos                                      11
Sírios                                          6
Alemães                                     6
Espanhóis                                   3
Norte-Africanos                           3
Antiga Dalmácia                          2
Portugueses                                2
Inglês                                          1
Holandês                                    1
Cretense                                     1
Polaco                                        1

Se você quiser saber mais sobre os Papas que já existiram, tais como o nome adotado, o período em que pontificaram e outras informações a eles pertinentes clique aqui.
--------------------------------------------------------------


          Discovery Brasil