sábado, 31 de dezembro de 2011

Origem do Ano Novo

Segundo estudiosos existem algo em torno de 40 calendários em uso no mundo, embora nem todos tenham a repercussão que tem o calendário ocidental gregoriano. Veremos aqui sucintamente os principais.

O Ano Novo é um evento comemorado por todos os povos, embora por fatores culturais, algumas dessas comemorações seja feita em diferentes datas.

O ANO NOVO GREGORIANO
Os povos ocidentais adotam o calendário originário dos romanos com a contagem dos dias, meses e anos e desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado em 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera e as festas duravam uma semana e terminavam no dia 1º de Abril.

Em 15 de outubro de 1582, o papa Gregório XIII instaura um novo calendário nos Estados Pontifícios, Portugal e Espanha, substituindo o então vigente calendário juliano. O novo sistema de contar o tempo passaria a ser conhecido como calendário gregoriano e seria usado até hoje. E foi ustamente Gregório XIII que instituiu o 1º de Janeiro como o primeiro dia do ano, mas alguns franceses resistiram à mudança e quiseram manter a tradição.

Só que as pessoas passaram a ridicularizar os conservadores, enviando presentes estranhos e convites para festas que não existiam. Assim, nasceu o Dia da Mentira, que é a falsa comemoração do Ano Novo.

O ANO NOVO CHINÊS
Um dos calendários mais antigos do mundo é o chinês. É um calendário tanto lunar, quanto solar. Cada ano apresenta 12 lunações, ou 354 dias, e a cada oito anos são acrescentados 90 dias. Ele está dividido em ciclos de 12 anos: cada um deles tem o nome de um bicho. O calendário chinês já conta mais de 4700 anos.

Desde 1912, a China passou a adotar oficialmente o calendário gregoriano, mas, por tradição, o povo continua utilizando o calendário antigo, e a comemoração do Ano-novo chinês é a maior festa popular do país.

O Ano Novo Chinês é comemorado entre 15 de Janeiro e 15 de Fevereiro de acordo com a primeira lua nova depois do início do Inverno. Lá é habitual limparem as casas e fazerem muita comida (Bolinhos Chineses de Ano Novo - Yau Gwok, símbolo de prosperidade). Há muitos fogos de artifício e as ruas ficam cobertas de pequenos pedaços de papel vermelho.

O ANO NOVO ISLÂMICO
O Ano Novo dos muçulmanos, que têm seu próprio calendário que se chama “Hégira”, que começou no ano 632 d.C. no nosso calendário, a passagem do Ano Novo também tem data diferente – 6 de Junho que foi quando o mensageiro Mohammad fez a sua peregrinação de despedida a Meca.

O calendário islâmico (ou hegírico) difere do ocidental principalmente por ser lunar, e não solar. São 12 meses com 29 ou 30 dias alternados entre eles. O mês começa quando nasce a primeira lua crescente, e o ano possui 11 dias a menos do que o calendário gregoriano. É um dos calendários mais novos e conta pouco mais de 1430 anos.

O ANO NOVO JUDÁICO
As comemorações do Ano Novo judaico, chamado “Rosh Hashanah”. É uma festa que tem data móvel, no mês de Setembro. Enquanto o calendário Gregoriano conta pouco mais de 2000 anos, o calendário Judáico conta mais de 5760.

ANO NOVO IRANIANO/PERSA
Outro calendário milenar é o persa. É um calendário solar, utilizado no Irã e no Afeganistão, por exemplo.Descende dos calendários zoroastricos da Pérsia pré-islâmica. Mesmo aqueles países que sofreram a influência do Islã tentam manter o calendário persa hegemônico. Pelo calendário Persa, o Ano-novo acontece no dia 21 de março, quando ocorre o equinócio vernal no hemisfério norte, precisamente determinado por observatórios astronômicos localizados em Teerã e Cabul.

Supertições e Tradições:O primeiro dia do ano é dedicado à confraternização. É o Dia da Fraternidade Universal. É hora de pagar as dívidas e devolver tudo que se pediu emprestado ao longo do ano. Esse gesto reflecte a nossa necessidade de fazer um balanço da vida e de começar o ano com as contas acertadas.

Os judeus aproveitam as festas de Ano novo para se deliciar com as tradicionais receitas judaicas: o “Chalah”, uma espécie de pão e além do pão, é costume sempre se comer peixe porque ele nada sempre para frente.

As pessoas valorizam muito a festa de Ano Novo, porque sentem o desejo de se renovar. Uma das nossas tradições é sair às janelas de casas batendo panelas para festejar a chegada do novo ano. Nos dias 25 de Dezembro e 1º de Janeiro, costumamos comer uma mistura feita com as sobras das ceias, que são levadas ao forno. O ingrediente principal da chamada “Roupa Velha” é o bacalhau cozido, com ovos, cebola e batatas, regados a azeite.

Muitas pessoas tem como superstições, comer 12 passas durante as 12 badaladas na virada do ano traz muita sorte, assim como subir numa cadeira com uma nota (dinheiro) em uma das mãos.

Em várias zonas do litoral, há pessoas que mesmo no frio do Inverno conseguem entrar na água e saudar o Ano Novo. Outras costumam pular sete ondas como forma de atrair boa sorte e deixar os resquícios do ano velho para ser levado pelas águas do mar.
-------------------------------------------------------------
Fonte: http://www.miniweb.com.br/imagens/home/dezembro/natal/origem_ano_novo.html
          História: Papa Gregório XIII Introduz Calendário Gregoriano
              http://vivacadatoque.terra.com.br/pelo-mundo-7/um-ano-novo-diferente-em-cada-cultura-240